segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

O muro

"(...) A poesia está, já há alguns anos numa espécie de perplexidade, não sabe que rumo tomar. Então, estamos explorando, até o exasperamento, as formas puramente mecânicas e gráficas de criação poética. (...) também os ficcionistas se viram nesta situação desesperada de chegar ao fim de todos os caminhos. Mas eu acredito que haja um caminho. De repente, alguém dirá a palavra mágica que abre a muralha à nossa frente, revelando o portal escondido que lá se encontra".
Wilson Martins, historiador, em Idéias: um livro de entrevistas, de Cora Rónai.

3 comentários:

Rafael disse...

é um estado perene da humanidade, acredito...

Luiz Gonzaga B. Jr. disse...

Quando o caminhante está pronto, o caminho se lhe abre!!!
Abração!

Editora disse...

Olá,
Gostaríamos de receber o e-mail para contato do dono do site ou responsável pela área comercial/marketing para enviar uma oferta de conteúdo e produtos gratuitos para os usuários de seu site. E também, remuneração que ajudará o seu site a ter retorno financeiro e aumentar suas visitas. Favor enviar o e-mail de resposta para: roberto@editoraquantum.com.br
Atenciosamente,
Roberto Lion Motta

Editora Quantum – Revista VendaMais
http://www.editoraquantum.com.br